Warning: "continue" targeting switch is equivalent to "break". Did you mean to use "continue 2"? in /var/www/html/biniadvogados.adv.br/web/wp-content/plugins/revslider/includes/operations.class.php on line 2854

Warning: "continue" targeting switch is equivalent to "break". Did you mean to use "continue 2"? in /var/www/html/biniadvogados.adv.br/web/wp-content/plugins/revslider/includes/operations.class.php on line 2858

Warning: "continue" targeting switch is equivalent to "break". Did you mean to use "continue 2"? in /var/www/html/biniadvogados.adv.br/web/wp-content/plugins/revslider/includes/output.class.php on line 3708
Responsabilidade civil extracontratual. Demanda visando cobrança de dívida não vencida ou já paga. Artigos 939 e 940 do código civil aplicabilidade. – BINI Advogados

8:00 - 18:00

Horário de seg. a sex.

(19) 3434-5023 | (19) 3433-0004

Telefone de contato

Search
 

Responsabilidade civil extracontratual. Demanda visando cobrança de dívida não vencida ou já paga. Artigos 939 e 940 do código civil aplicabilidade.

BINI Advogados > Responsabilidade civil extracontratual. Demanda visando cobrança de dívida não vencida ou já paga. Artigos 939 e 940 do código civil aplicabilidade.

A leitura mais desatenta aos artigos 939 e 940 do Código Civil, nos leva à impressão de aplicabilidade imediata de referidos dispositivos, a todas àquelas demandas em que exista a cobrança de divida ainda não vencida, divida já paga ou maior do que a devida.

A cobrança de divida antes do vencimento, nos termos do artigo 939 do Código Civil, implica ao credor “a esperar o tempo que faltava para o vencimento, a descontar os juros correspondentes, embora estipulados, e a pagar as custas em dobro” (artigo 939).

A cobrança de “divida já paga”, a teor do artigo 940 do Código Civil, implica ao credor em devolver ao devedor “o dobro  do que houver cobrado” , e a cobrança de importância “maior do que a devida”, implica ao credor em devolver ao devedor “o equivalente do que dele exigir, salvo se houver prescrição”.

A aplicação de referidos dispositivos legais, ao contrário da simples leitura, prescinde de certas cautelas.

Os Tribunais já na vigência do Código Civil de 1916, e em analise a inteligência dos artigos 1530 e 1531, correspondentes aos artigos 939 e 940 do novo diploma legal, já exigiam para aplicação de referidos dispositivos, a prova de existência de dolo ou malícia do credor (RT 407/132).

O Supremo Tribunal Federal definiu a aplicabilidade de tais dispositivos, ao editar a Súmula 159, a qual previa “a cobrança excessiva, mas de boa-fé, não dá lugar às sanções do art. 1531”.

Cumpre ressaltar ainda, que as penas previstas nos artigos 939 e 940 do Código Civil, não podem ser requeridas através de simples alegação em contestação, mas sim, através de ação autônoma, reconvenção ou embargos à execução, já que tem por fim a fixação de indenização por perdas e danos, ao contrário da condenação por litigância de má-fé, prevista nos artigos 16 a 18 do Código de Processo Civil, que pode ser fixada na própria demanda em que a mesma se verificou.

Portanto, para pleitear o previsto nos artigos 939 e 940 do Código Civil, não basta á aplicação fria do previsto em referidos dispositivos, existe necessidade de produção de provas visando demonstrar o dolo ou no mínimo, a malícia do credor.

Dr. Wagner Bini